Lembrança Eterna de uma Mente sem Brilho


Relato de um náufrago
15-agosto-2004, 3:34
Filed under: Livros

 

Como esse livro ganhou o Nobel de literatura não consigo compreender. É a história de um marinheiro que ficou, impressionantemente, nove noites e dez dias no mar, completamente fudido, sem ter o que beber e comer. É realmente uma história fabulosa, e triste, mas sinceramente, como é nada mais que um relato fiel ao que Luís Velasco (o marinheiro) pensou e presenciou nessa “odisséia marítima”, é um livro, digamos, simplista, sem sabor, sem sustância.

O que o Gabriel García Márquez fez nesse livro até agora não sei. Ele simplesmente estava lá pra escrever o que o Luís dizia. Achei legal que no prefácio ele realmente diz que não fez nada. Menos mal, mas que ele ganha toda a fama, ganha. A capa do livro tem o seguinte: “…enriquecido pela publicidade, e logo abandonado pelo governo e esquecido para sempre”. Bom, não entendi direito.

Ele foi saudado como herói, ganhou dinheiro fazendo publicidade e esperava ser promovido a cadete na marinha. Acontece que a marinha aparentemente não queria que saísse o fato de ter muita muamba no navio, que possivelmente ajudou na queda de Luís e mais quatro no mar. Achei tudo um pouco superficial demais. Queria ter conseguido mais informações sobre os problemas que Luís teve com a marinha, o quanto ela tentou calar o jornalzinho no qual Gabriel Márquez trabalhava… achei que, se no prefácio tanto fora dito sobre os problemas e a turbulência que o Luís aparentemente causou na marinha, mais deveria ter sido dito sobre o que aconteceu depois que ele foi saudado como herói.

O livro não é ruim, só é um pouco fraco.



Children of Bodom – Scala, Rio de Janeiro
12-agosto-2004, 3:41
Filed under: Música

 

A fenomenal banda de death metal melódico Children of Bodom tocou no Scala hoje às 21:30 e eu posso sinceramente dizer que não sentia uma expectativa tão grande há muito tempo… há muitos anos. Estava muito, mas muito pilhado pra esse show, que com certeza consolidou o quanto gosto desta banda. Tenho que agradecer, e muito, ao Tuco por ter me apresentado à sons que antes não conhecia, e me deixar viciado em música boa.

O show foi muito foda. Tudo estava ótimo e a banda, mesmo mostrando estar lá meio que de brincadeira, fez um show muito maneiro, com tudo o que poderia esperar. Tocaram as músicas certas, faltaram várias, claro, mas num show de uma hora e meia não se pode esperar tudo.

Todos se divertiram muito, e isso se mostrou numa presença de palco sensacional, em especial o Alex, que com seu jeito poser tava muito engraçado. Com duelos de mestres, guitarra e teclado dominaram um show que foi coeso e poderoso. Mal posso esperar a próxima vez que terei a chance de revê-los.

(modificado do original, encontrado no agora inutilizado Ikhaat)



Budapest
10-agosto-2004, 3:39
Filed under: Livros

Estou devendo essa resenha desde a semana passada. Budapest é, em suma, um livro bastante chato. A primeira metade dele é simplesmente insuportável, mas, como sou um leitor que não consegue deixar um livro pela metade, tive que terminá-lo… na segunda metade ele fica até suportável.

É um livro repleto de clichês, de sacadas machistas, de estereotipagem de mulheres (só não darei os exemplos para não estragar o livro pra quem ainda não leu). A narrativa é até um pouco inteligente, mas não passa de prepotência do autor, um certo músico que tem fama demais pro meu gosto.

Não recomendo este livro a ninguém. Se você for uma daquelas pessoas que simplesmente a-d-o-r-a o Chico Buarque, então leia. Mas depois não vem reclamar que o livro é chato.