Lembrança Eterna de uma Mente sem Brilho


Fine Young Deutschland Cannibal
22-abril-2005, 3:14
Filed under: Politicalidades

Vão julgar o caso do canibal alemão de novo, sob a alegação que os oitos anos e meio de pena pelo seus atos foram muito brandos.

A história inteira, do The Guardian, está aqui.

Eu sinceramente concordo plenamente com o juiz do primeiro julgamento, que considerou o ato “matar uma pessoa sem assassiná-la”, visto que o homem que morreu, Bernd Jürgen Brandes, se ofereceu à Armin Meiwes, achando que o ato era o melhor e maior acontecimento de sua vida.

Não entendo porque acharam que ele deve receber mais do que oito anos de reclusão. Achava que ele nem deveria ter pego pena alguma. Ele não cometeu um crime, simplesmente comeu uma pessoa que se entregou à ele.



Dan Brown – Angels & Demons – pgs. 242 a 244
20-abril-2005, 3:01
Filed under: Livros

Auréolas foram trazidas do culto egípcio ao Sol. O Cristianismo é repleto de exemplos desse culto.

O Natal não é o nascimento de Cristo. Na verdade, de acordo com a Bíblia, Cristo nasceu em Março. Dia 25 de Dezembro é, na verdade, a celebração anciã e pagã do sol invictus – Sol Inconquistado. É quando acontece o solstício do inverno.

O Cristianismo não pegou emprestado rituais e datas somente do culto ao Sol. A canonização provém do antigo ritual de “criação de divindidade” de Evemerus. A prática de ‘recebimento de deus” – isto é, comunhão sagrada – foi proveniente dos Astecas. Até o conceito de Cristo morrendo pelos nossos pecados é discutivelmente não exclusiva do Cristianismo; o sacrifício de um jovem homem para abolir os pecados do seu povo aparece nas tradições mais antigas dos Quetzalcoatls.

Muito pouco das religiões organizadas é realmente original. Religiões não nascem do nada. É tudo uma colagem… um assimilado registro histórico da busca do homem para compreender o divino. Quando os primeiros convertidos ao Cristianismo abandonaram suas antigas crenças – deuses pagãos, o pantheon romano, o grego, Amon-Ra, que seja – perguntaram o como seu novo deus era. A ingreja, espertamente, escolheu a mais reverenciada, poderosa e familiar face na história.

O deus cristão é Zeus.



Toma, argentino!
15-abril-2005, 3:01
Filed under: Esportividades

No depoimento prestado durante esta madrugada à polícia brasileira, o jogador argentino Desábato, do Quilmes, mostrou arrependimento pela atitude racista contra o são-paulino Grafite, segundo o delegado seccional Dejar Gomes Neto.

O zagueiro segue preso no 34º Distrito Policial, no bairro do Morumbi. Indiciado por injúria qualificada, ele está sozinho em uma das celas da delegacia por motivos de segurança.

“O argentino se mostrou arrependido. Mas o Grafite se sentiu ofendido, e isso é suficiente para que seja considerado racismo. Ele continua preso”, disse Gomes Neto em entrevista à TV Globo.

Desábato, que teve amostras de suas impressões digitais recolhidas da delegacia, vai ficar preso até que um juiz decida que sentença ele vai receber.

No Brasil, o crime cometido por Desábato, que prevê até três anos de prisão, só pode ter valor de fiança determinado pela Justiça, o que pode demorar até alguns dias. “Ele vai ficar preso, e o flagrante foi encaminhado ao judiciário, onde o juiz decidirá seu destino”, explicou o delegado seccional.

No primeiro tempo do jogo entre São Paulo e Quilmes, pela Copa Libertadores da América, o jogador argentino xingou Grafite de forma racista. O brasileiro reagiu, empurrou o rosto do rival e foi expulso de campo. As imagens da TV flagraram a cena.

Logo após o término da partida, o delegado Oswaldo Nico Gonçalves, superintendente do Garra, conduziu o jogador para o 34º Distrito Policial para registrar queixa contra o jogador.

Bem-feito. É bom ver que essa onda ridícula de racismo que assola o mundo todo, tendo no futebol o maior foco, um jogador tenda sido pego em flagrante e posto no xilindró. Esse é um momento de extrema ignorância e violência no mundo esportivo. É bom as autoridades mundiais fazeram algo logo ou isso pode causar danos ainda maiores.

A beleza do nosso Código Penal:

Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:
Pena – detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
§ 1º – O juiz pode deixar de aplicar a pena:
I – quando o ofendido, de forma reprovável, provocou diretamente a injúria; II – no caso de retorsão imediata, que consista em outra injúria.
§ 2º – Se a injúria consiste em violência ou vias de fato, que, por sua natureza ou pelo meio empregado, se considerem aviltantes:
Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa, além da pena correspondente à violência.
§ 3º – Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem:
Pena – reclusão de um a três anos e multa.
* § 3º acrescentado pela Lei nº 9.459, de 13 de maio de 1997.

Art. 141 – As penas cominadas neste Capítulo aumentam-se de um terço, se qualquer dos crimes é cometido:
I – contra o Presidente da República, ou contra chefe de governo estrangeiro;
II – contra funcionário público, em razão de suas funções;
III – na presença de várias pessoas, ou por meio que facilite a divulgação da calúnia, da difamação ou da injúria.
Parágrafo único – Se o crime é cometido mediante paga ou promessa de recompensa, aplica-se a pena em dobro.

Saiu o testemunho oficial do argentino que xingou o Grafite. Em confissão assinada, ele reconhece, ne não se desculpa, por ter dito o seguinte, de acordo com o jornal O Globo: ‘Seu negrito de mierda, pega una banana enfia no culo’. Pena que ele será solto hoje, visto que está sendo acusado de injúria qualificada, com agravante de racismo.

Terá que aguardar o julgamento aqui no Brasil. Tomara que esse filho da puta pegue três anos de prisão e seja recebido por vários ‘negritos’ em sua cela. Desgraçado.