Lembrança Eterna de uma Mente sem Brilho


Greg
30-maio-2007, 6:53
Filed under: Abobrinhas

Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
Depois da Luz se segue a noite escura,
Em tristes sombras morre a formosura,
Em contínuas tristezas a alegria.

Porém se acaba o Sol, por que nascia?
Se formosa a Luz é, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto da pena assim se fia?

Mas no Sol, e na Luz, falte a firmeza,
Na formosura não se dê constância,
E na alegria sinta-se tristeza.

Começa o mundo enfim pela ignorância,
E tem qualquer dos bens por natureza
A firmeza somente na inconstância.

(Gregório de Matos e Guerra)

Anúncios


29-maio-2007, 11:08
Filed under: Abobrinhas

Um interessado. Uma pensativa. Uma debatedora. Numa noite incrível na Lapa. Bom demais.

Meu milésimo post (no Ikhaat, meu antigo blog). Me sinto o Romário. Gostaria de mandar um beijo pra minha mãe, pro meu pai e um especialmente pra você, leitor… quero que a Xuxa se foda.



É mil
25-maio-2007, 10:29
Filed under: Esportividades


O dia está propício. Tinha o Sport, lindo time de Recife que merece fazer parte da Série A, mas que todos sabemos que lutará bravamente para não escapar da degola. Tinha o estádio, o antes belíssimo e agora clássico e nostálgico São Januário, palco de tantas conquistas e outras tantas loucuras do Eurico. Tinha a torcida, em massa para ver seu time jogar – e, quem sabe, entrar para história como os sortudos vinte mil a assistirem um marco na carreira brilhante de um certo marrento.

Romário estava lá. Zilhões de jornalistas também. Euricão estava lá, de charuto na mão e camisa apertada, tentando segurar tamanha barriga com esforço herculiano.

O jogo se leva como o esperado. Dois a zero no primeiro tempo, com um momento em que batidas de corações por todo Brasil pularam a vez. Romário chutou, meio torto, meio certo, e a bola foi salva na linha pelo zagueiro Durval. Todos ali, ansiosos, esperando a comemoração histórica tiveram que, mais uma vez, como nas últimas inúmeras chances, suspirar e esperar a hora do milésimo.

E não é que o Durval fez mesmo questão de aparecer no jogo? Tascou a mão na bola logo no comecinho do jogo e deixou para o Baixinho o prazer de fincar sua marca, cada vez mais definitiva, no Olimpo do futebol. De penalti. Como queria. Não foi no Maracanã, e isso eu queria.

Em São Januário foi mais gostoso. Para um vascaíno, foi coroar seu rei no seu próprio castelo. E nosso reizinho ganhou uma bela festa.

O homem de tantas palavras não tinha de onde tirá-las. Chorou ao lado da mãe, do pai, da mulher atual e de toda penca de filhos que acumulou numa vida movida à futebol e diversão. E ainda veio o Euricão, bufando seu charuto, segurando suas calças para não caírem. A bagunça que se conhece, por um motivo nobre que poucas vezes justificará tamanha baderna.

Romário é mil. O Brasil está a seus pés. Eu também. Meus parabéns.



Greasy High School Rebel
18-maio-2007, 7:10
Filed under: Diatribes

Que febre é essa pelo High School Musical?

Não sou da geração do Grease, e até entendo as comparações, mas mesmo assim, acho um pouco over um filme feito para o canal a cabo Diney Channel ter conseguido algo tão absurdo de bobeira. Legiões de fãs, milhões de discos e dvds vendidos, shows lotados.

Isso por um filme sobre um jogador de basquete que quer participar do musical (pasmem) do colégio dele. Sobre uma menina que faz sei-lá-o-que e enamora-se do jogador e eles viram as estrelas do musical, com pessoas invejosas querendo a morte deles. Sei lá, é tudo muito plástico. Mas vende. Ô, se vende… e ainda lança cada um dos seus protagonistas em carreiras solos na música. Que, claro, vendem muito.

Fico me imaginando nos anos áureos do Grease, escutando aquelas musiquetas piegas, bobas, com caras engomados mostrando seus carros possantes, e as meninas de vestidinhos e óculos babando pelas jaquetas de couro e calças apertadas.

Muda o século e são garotos descolados, ex-varsity heroes, pulando de dançando. O mesmo tema, a mesma premissa, mas ‘atualizado’ para as babaquices de hoje em dia – a luta por popularidade, e criação de uma identidade própria, a luta contra o que é esperado de você e forçado sobre você no colégio.

Vende. E muito. Mas que é fraco, isso é. E muito.

Minha afilhada prefere Rebelde. Acha mais legal. É uma novela, então não é a mesma coisa sempre. E acho que é isso que mais me assusta no Grease e, agora, no High School Musical. São filmes de, sei lá, duas horas cada. Ou seja, essas pessoas que ficam loucas por esses filmes estão vendo, sempre, a mesmíssima coisa. Trinta, quarente vezes.

Por que caráleos não cansa??



Indie Inc.
14-maio-2007, 10:15
Filed under: Abobrinhas

Preciso trabalhar lá.



Crazy fucking people
11-maio-2007, 7:17
Filed under: Politicalidades

 

Me deparei com uma notícia absurda hoje. Foi divulgado em sites iraquianos na Internet o vídeo do linchamento de uma adolescente da minoria religiosa Yazidi, morta em abril, no norte do Iraque, porque estava apaixonada por um muçulmano. Doaa Khalil Assuad, 17 anos, foi assassinada no dia 7 de abril por uma multidão em cólera, da qual também participavam membros de sua própria família.

Na gravação, filmada com um celular, a menina aparece caída numa estrada, em meio a homens que chutam seu corpo e atiram um bloco de cimento em seu rosto. Policiais iraquianos uniformizados assistem de longe a cena, sem intervir. Muitas pessoas tiram fotos.

O governo regional do Curdistão condenou com firmeza esta morte, qualificando-a de “crime religioso, social e ideologicamente inaceitável”, pedindo cado às autoridades uma investigação maior. O Conselho religioso Yazidi também denunciou, em nota, “o crime brutal cometido em nome de tradições tribais ultrapassadas”.

A minoria Yazidi, estimada em 500 mil pessoas, vive no norte do Iraque e fala um dialeto curdo, mas possui uma cultura própria e uma religião específica. Seus integrantes crêem num Deus criador do mundo e respeitam os profetas da Bíblia e do Alcorão, em particular Abraão, mas veneram principalmente Malak Taus, que dirige os arcanjos e é com freqüência representado por um pavão.

Cristãos e muçulmanos identificam Malak Taus com Lucifer ou Satã, o que fez nascer uma crença popular segundo a qual os Yazidis são adoradores do diabo. (AFP)

Fontes: Trankera, Aina

O vídeo está disponível no site do Aina. Recomenda-se extrema precaução e estômago forte. Para minha surpresa, não consegui assistir a partes de um dos vídeos, quiçá a ele todo.

É o absurdo que antropoligistas imbecis julgam aceitável. Que culturas diferentes merecem respeito e suas diferenças têm de ser aceitas. Pois eu não acho. Quero que todos os que foram capturados no vídeo morram na cadeia pelo crime hediondo de matas a chutes e com um bloco (pasmem) de cimento uma indefesa menina, que errou ao gostar de alguém.

Que essas sociedades sejam dizimadas, pois incitam a violência, o desrespeito à vida alheia, o desrespeito à mulher, à falta de liberdade de escolha, ao direito de ir e vir sem ser julgado por quaisquer razões. Isso tudo é culpa da religião, órgão nefasto, responsável por tantas outras mazéolas desse nosso mundo.

Nessas horas queria poder sumir, viver na tangente da sociedade, longe de imagens e notícias como essas. Longe dessa criminalidade absurda, dessa violência insana, dessea falta de civilidade. Queria que o mundo explodisse.

Os humanos estragaram tudo.



Adeus, Enéas
8-maio-2007, 10:24
Filed under: Politicalidades

Vida eterna ao maior defensor do nosso nióbio.