Lembrança Eterna de uma Mente sem Brilho


Virgínia Berlim
3-março-2008, 2:54
Filed under: Literaturalidades

Há tempos recebi, numa tarde quase noite na Cinelândia, envolto a pessoas queridas e conhecidas, uns livros interessantes. Faltou resenhas dos mesmos. Nas próximas semanas, entregá-las-ei.

Bia é um guei lindo. Talvez o guei mais lindo. Daria meu cu a ele se tivesse um extra. E como esse puto sabe escrever.

Vírginia Berlim é uma mulher comum. Ordinária. Presente na vida de qualquer um de nós. Ela está lá, na tangente, esperando o momento de entrar na sua vida e botá-la completamente ao avesso em instantes.

Todas as vezes que li o livro (foram quatro até agora), me passa a impressão, cada vez mais clara, que a Vírginia é bem mais que uma mulher. Ela é A mulher, a mulher de todos nós, machos os fêmeas. Ela é a mulher que queremos ter. Ou não.

Na cadência incrível desse livro, na prosa excelente já vista em ‘Sexo Anal – Uma Novela Marrom’, resenhado por mim nesse post, Bia consegue nos deixar atônitos, acompanhando, a lá ‘Janela Indiscreta’ mesmo, como bem disse a Lúcia Malla, os acontecimentos em torno do fim de ano de um alguém qualquer. Muito claramente, esse alguém representa nós mesmos. É só procurar que achamos uma faceta nossa, um fósforo esperando ser ignado.

Vírginia Berlim’ é uma história de momento. Uma história de situação. Mas é também um reflexo de angústias, de tédio, de monotonia e de puro êxtase. Consegue ser chata e intoxicantemente interessante.

Lê-la com o cd a tira-colo muda a experiência. Na primeira vez, não quis saber das músicas. Na segunda, fiz questão de ouvir o cd enquanto lia. Na terceira, li de novo sem som. Na quarta, acompanhei a história junto com o livro. Li o livro de acordo com o cd. E a quarta vez foi a melhor. Olha, o cd não tem músicas que posso dizer que adoro, mas ele encaixa sublimemente no decorrer da história – provém o certo na hora certa. Explica sem explicar e ajuda o caminhar daquele de pé cortado, morrendo de calor e entediado – um retrato fiel de todos nós, vivendo no nosso mundinho, do nosso jeitinho, perdidamente desesperados sem demonstrarmos isso.

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: