Lembrança Eterna de uma Mente sem Brilho


O pai e seu filho
25-abril-2009, 9:51
Filed under: Diatribes

Foi ao menos intrigante a história do pai que se julgou apto a decidir a felicidade e conseqüente perda da vida do seu pequeno filho. Aos 5 anos já sabia, sem a menor sombra de dúvida, que a vida do pimpolho seria uma de imensa tristeza e duras penas.

Aos 5 soube que seu filho jamais seria feliz. Que o tempo que gastava longe dele era um penar sem igual. Que o fato de sua mãe ter ficado com a guarda dele era o pior dos mundos. Que jamais conseguiria viver com a dor de estar longe do pai e só vê-lo de vez em quando.

O que me intriga é até que ponto um pai, que pela carta amava o filho, consegue pegar uma arma e disparar contra seu primogênito. Sua criança, olhando em seus olhos, com certeza com rosto de algum espanto.

Imagino até que ele estivesse em prantos. Olhando para seu filho, possivelmente em prantos também, ou ao menos com uma cara de imenso terror e medo, puxou o gatilho. Será que ele esperou o filho dormir e foi ainda mais covarde ao assassiná-lo enquanto sonhava?

Anúncios


Barbosa vs Mendes
23-abril-2009, 1:21
Filed under: Abobrinhas

Ting! Ting! Ting!

Senhoras e senhores! Bem-vindos ao maior espetáculo dos últimos tempos! Uma luta fantástica! Inesquecível! Estarrecedora! Acompanhada por milhões de telespectadores!

Do lado direito do ringue, com sua gravata multicor, Joaquim ‘Pantera Negra’ Barboooooooosa!

Do lado esquerdo, de gravata azul xadrez, Gilmar ‘El Presidente’ Meeeeeeeeeeendes!

Infelizmente para o nobre Joaquim, no lado do ‘El Presidente’ estão não um, mas quase todos os Ministros da casa! Isso é que é equipe unida!

Esse bate-boca serviu para mostrar que o país pode sim ter algumas vozes de discondância que não são aquelas de cunho absurdo e vilipendioso para o povo deste país. Pobre desse Sílvio Costa, que não poderá mais usar as passagens dadas à ele como parlamentar para levar a sogra e sobrinha para a Disney com dinheiro público.

E a petulância de reclamarem em alto e bom som que estão sendo maltratados e que é uma afronta não deixá-los usar as passagens para levarem amigos e familiares à Paris! Esse é o país de merda em que vivemos.

Nós imaginamos a escória da sociedade na políticas. Vemos os corruptos e os filhos da puta como a EXATA imagem do nosso povo. Somos exatamente aquilo em que votamos.

Nunca sei se seremos um país melhor, mais justo e correto. Tudo leva a crer que não, com escândalo após escândalo – com todos os políticos votando entre si para aumentos de salários que só beneficiam eles mesmos. Um problema moral que simplesmente foge à compreensão desses babacas.

Faltam palavras decentes para os Gilmar Mendes e os Silvios Costas desse país. Pessoas que deveriam nos representar, mas são a imagem de corrupção e mau caratice que transformam todos nós em desgraçados sem salvação. Um dia eu sei que vou conseguir ver essa corja longe do poder.

Quando eu virar heremita e renunciar minha pátria.



Susan Boyle
21-abril-2009, 3:11
Filed under: Música

Houve uma certa necessidade criada para que eu falasse sobre a Susan Boyle. Mulher que deixou todos embasbacados a ponto de virar um ícone do ‘retorno da música sobre a imagem’. Será?

O fato dela ser feia e desengonçada foi algo que, de fato, serviu a seu favor. Sua voz, devidamente checada pelos produtores, foi confirmada como uma de grande potência e charme. Imagino eu que os juízes não a conheciam. Não faria sentido saberem do seu potencial. Perderia toda a graça da surpresa. Além do que imagino que nenhum dos juízes de fato conheça os participantes antes dos mesmos entrarem no palco.

Susan canta muito. Isso é fato consumado. O que ela fará com o provável prêmio do Britain’s Got Talent ainda é algo a ser questionado. Agora, se ela terá uma carreira de sucesso a partir do programa, isso depende muito.

Ela pode lançar um álbum de músicas de musicais clássicas. Venderá turbilhões de cds e singles e mp3s. Não sairá o segundo álbum, pois não haverá ninguém para comprá-lo.

Susan terá alguma sobrevida se ela entrar numa trupe de musicais e treinar, treinar muito, para se tornar uma vocalista, solista até, que possa interpretar e ser relevante num mercado tão fechado e concorrido. Seu nome dará ao expetáculo um tchan a mais, e isso a ajudará muito – pois seu nome, ao menso em princípio, venderá ingressos. Se ela provar que tem não só talento, como perseverância e ‘jeito’ para o negócio, há uma esperança que ela venha a durar mais que um ano nesse meio.

Adorei vê-la cantar. Gostei muito das expressões das pessoas ao vê-la soltar o vozeirão. O espanto de todos foi realmente algo legal de se ver.

Todo o papo de ‘volta da música versus a imagem’ é uma grande balela. Isso não mudará nunca nesse mundo. Especialmente um mercado musical que se tornou tão fugaz que artistas que vendem 5 milhões hoje são esquecidos em míseros meses. A imagem tornou-se o atributo primordial da maioria dos artistas, especialmente os pop, para que possama atingir algum nível de sucesso.

E por isso não acho que a Susan seja uma demonstração que o talento está ganhando de novo. Ela é uma novidade gostosa. Um patinho feio que ganhou seus minutos de fama.

Tomara que dure. Mas não sei não…



Um ataque
18-abril-2009, 2:42
Filed under: Copacabanalidades

Dormindo. Tranqüilo. Sonhando um sonho lúcido interessante.

Um barulho. Primeiro baixo, gradativamente aumentando. Ensurdecedor.

Me agarro ao sonho, mas não consigo. O barulho é tremendo. Tremem as janelas. Estou sendo atacado.

Um ataque, logo em Copa? Num dia tão límpido? Enquanto durmo? Por que??

O barulho passa. Penso que tudo foi só um sonho. Olho do lado de fora da janela e inúmeras pessoas estão olhando para o chão. Para os céus. Vejo que não estou alucinando.

E o barulho aparece de novo. Primeiro baixo, gradativamente aumentando. Me preparo para o pior. Penso na família, no que ainda quero fazer. Penso nas duas reuniões do dia. Penso nos papers de mestrado que preciso entregar até a semana que vem.

Poucos metros da minha cabeça passa um objeto cinza em alta velocidade. Acabou, penso eu. Viramos Nova Iorque.

O barulho se vai, mas o objeto cinza cravou-se em minha retina. Estou com medo. Pavor. Procuro a explosão. Procuro fogo, gritos, fumaça. Não encontro. Isso dá mais medo ainda.

Estão brincando conosco? Dizendo que podem atacar mas não atingem nada? Maléficos terroristas!

Está passando Osasco x Rio de Janeiron na Globo. No Maracanãzinho. Será que todos serão incinerados? Vai começar Aston Villa x West Ham na ESPN. Tenho inveja de todos eles, seguros e livres do medo. 

Olho para a praia. O céu está lindo. A água, um azul escuro de tirar o fôlego. E neste instante passa de novo, em frente aos meus próprios olhos, dois objetos cinzas em tremenda velocidade. Atacaram a Avenida Atlântica.



Meu Vasco
13-abril-2009, 8:04
Filed under: Esportividades, Monova

Olha só, estou decepcionado. Nada de dizer que você excedeu minhas expectativas, nada de chegar a falar que o que você apresentou foi futebol de qualidade. Não consigo tirar minha decepção contigo.

Você magoou. Tirou partido de mim. Abusou.

Achei que podia confiar em você. Que você tinha me mostrado o suficiente para que eu ficasse aí, ao seu ladinho, curtindo a vibe. Achei que podia sentir o gostinho do metal de um troféu na boca. Aquela sensação mágica de berrar até ficar rouco ‘é campeão’.

Mas não. Você foi dar o gostinho pra jogar tudo fora na hora decisiva. Foi me trair so ficar de quatro pro babaca do General Severiano.

Tive esperanças que você ia me dar alegrias. Achei realmente que ia ser feliz contigo nesse primeiro semestre. E ainda posso. Sou corno futebolístico convicto.

Comprei os ingressos de temporada. Assisti a todos os jogos que pude. Estava lá, presente, mostrando meu amor. E você me traiu.

Tá indo pro Nordeste agora? Ah, é? E o que vai fazer lá? Hein? Hein? Acho bom voltar com algo nas mãos. Acho bom voltar com histórias boas pra contar.

Dia nove de maio eu vou ver se você me trai de novo, só que agora com um brasiliense qualquer. Não agüento essa mágoa. Não agüento essa dor.

Mas estarei lá. E ai de você me trair de novo. Eu te mato, viu?



Noites tropicais
6-abril-2009, 2:43
Filed under: Diatribes, Perfil

Ando vagando pelos dias, mais pensativo que o normal. Pensando nas possibilidades que essa vida me apresenta. Pensando nos movimentos que devo fazer para alçar os vôos que tanto quero. Com acento e tudo. Caguei pra revisão ortográfica.

Quinta-feira é meu aniversário, e cada vez menos essa data tem significado importante na minha existência. Nunca fui de grande celebrações anuais do dia do dia que berrei pela primeira vez, que dei meu primeiro grande suspiro. Mas invariavelmente me ponho a pensar no que crier, e conquistei, nesses quase 27 anos de exposição ao mundo.

E sempre vejo que não tem muito a mostrar. Sempre tenho a clara sensação que preciso de muito mais – que estou devendo muito a mim mesmo e às pessoas importantes da minha vida que sinto merecer algo a mais de mim. Fico ansioso por mostrar mais, por ser mais.

Tenho gana de expandir cada vez mais meus horizontes. Quero ampliar meu leque de atuação na vida. Sou quem sou hoje e não quero ser quem sou hoje amanhã. Uma constante mutação me faz bem.

Espero que a semana que vem guarde boas surpresas.