Lembrança Eterna de uma Mente sem Brilho


Twitter vs Blogs
21-janeiro-2010, 9:23
Filed under: Blogroll, Diatribes

Existe vida aos blogs depois do twitter? Será que twittar algumas vezes por dia justifica uma falta de posts pensativos, criativos e diferentes?

O twitter, toda a idéia de twittagem, me confunde. Eu o uso, com celular 3G fica ainda mais fácil e tranqüilo, e talvez seja por isso que mais acesso o site. Tem muita gente falando absolutamente nada – o que diz muito em comum com blogs em geral.

Mas o acesso à informação ‘instantaneamente’, presente no twitter, é que me deixa fixado no programa. Gosto de ter acesso aos links da Rolling Stones, às notícias esportivas do Ilan, Garamba ou paralelos. Gosto de saber como anda a vida do Tony Fernandes, que ia, até ontem, comprar o West Ham, ou do Neil Gaiman – meu autor predileto. Soube que ele vai se casar, e fiquei estranhamente contente.

A vida em 140 caracteres é complicada. Mas ao mesmo tempo ela se torna a comunicação rápida e simplificada. E é incrível ver no twitter que as pessoas, mesmo com restrições de tamanho das mensagens, não são do tipo de usar internetês. Divulgam suas mensagens amplamente, e sucintamente. É gratificante ver que, ao menos no twitter, não tivemos o empobrecimento da língua. Bom, mais do que o normal.

Ainda estou indeciso quanto ao poder do twitter em terminar com blogs. Acho, sim, que o twitter possibilitou pessoas de divulgarem duas idéias, por mais imbecis e pueris, de maneira rápida e pronta – sem precisarem se preocupar em criar posts, desenvolver idéias. Blogs têm a tendência de puxar o dono para algo mais complicado e elaborado. Dificilmente se vê estruturas de blogs sem preocupação com o tamanho dos posts e a proposta neles contida.

Talvez seja isso o maior feito do twitter – transformar idéias rápidas e de curta duração em movimentos de posts individuais. Ninguém se importa se o tweet ficar sem sentido, sem coesão ou se disser pouco. Rapidamente será engolido por outros tweets, e terá feito seu dever de ser algo de valor e necessidade de atenção por poucos instantes.

Eu ainda preciso escrever posts mais ‘complexos’ e pensativos. Sinto muita falta de fazer isso. Talvez por isso precise ainda desse espaço. E esteja criando um novo, de um projeto literário com um amigo.

Long live the blogosphere.



Hey, Jude, cante comigo
24-setembro-2009, 3:18
Filed under: Blogroll, Música

Depois de ser bombardeado por tantos posts sobre os Beatles do meu querido Cabra, lembrei de um flash mob um tanto peculiar, criado pela T-Mobile que, pra mim, representa o futuro do marketing social – quiçá o marketing em geral.

Assistam ao flash mob feito na Liverpool Street Station. Um tanto curioso o nome da estação, há de se admitir, mas não sei se foi proposital. Mesmo porque foi antes dessa coisa fantástica no Trafalgar Square. Nossa, quanta saudade da minha terra.



Um susto
28-agosto-2009, 7:01
Filed under: Blogroll, Politicalidades

Queria deixar muito claro o meu espanto. Um espanto sincero, diria até inocente, ao ver uma cena que me deixou estupefato. Não imaginava que o Alex poderia ter chegado à isso.

Posso esperar tudo do cara, é verdade. Afinal, um libertino libertário, autor de livros e chupador de dedões suados não pode ser alguém que espante pessoas com declarações e opiniões que possam ser, digamos, espantosas. Mas ainda sim, para um cara do qual se espera qualquer coisa, vê-lo brigando com o Suplicy no plenário foi estranhíssimo.

Não sei porque ele inventou um pseudônimo, nem sei se quero realmente saber. Heráclito Fontes é um nome tão bizarro que só poderia ter sido cunhado pela mente doentil do Alex. Problema é a legenda. E talvez foi isso que mais me impressionou.

DEM-PI?? Sério?! Porra, inventasse um personagem que fosse ao menos condizente com sua estrutura pseudointelectual. Procurasse, sei lá, o PPS, PV, mas focar logo no DEM, partido chinfrin que representa uma decadência linda das ideologias partidárias e políticas do país?

Apesar de tudo, tenho que confessar – Alex, você é um gênio. Consegue enganar a todos dizendo que está em Nova Orleans, escreve sobre escravidão quando, na verdade, vive uma vida dupla no plenário, sugando nas tetas dessa nação. Se já o considerava digno de elogios, agora você, pra mim, se superou.

Parabéns. Fez o Suplicy de piada. Tiro o chapéu pra você… oops, desculpa, tiro o chapéu para Vossa Excelência.



Biscoito mole
17-agosto-2009, 4:55
Filed under: Blogroll, Diatribes

Sempre quando era criança, e como ainda sou esse sentimento me persegue, pegava meu café com leite e, no despertar de manhãs, regojizava no deleite de uma bebida quente e biscoito maizena com requeijão. Quando não queria mais requeijão, e sobrara café e biscoito, adorava juntar um ao outro. Acordava mais feliz depois de molhar o biscoito.

Ainda sim, era difícil controlar a questão tempo-frescura do biscoito. Ficava entre a cruz e a espada, decidindo qual momento era o exato para poder me dedicar completamente aos delírios de um biscoito perfeitamente equilibrado entre o café com leite e consistência necessária para sua plena aceitação degustativa. Era uma ciência que até hoje me ilude.

Nunca gostei de biscoito molhado. Especialmente quando ele se desfazia logo que o retirava do café. Me emputecia. Ainda me emputeço.

Fica aquela sensação de impotência incrível. Um medo de repetir seus erros e ainda sim aquela vontade hedionda de tentar de novo e testar os limites do biscoito. Molhar o biscoito é uma arte que ainda não dominei.

Essa sensação de biscoito molhado demais veio à tona agora há pouco. Idelba deu uma “pausa” no blog. Logo num momento interessantíssimo da política nacional, cheio de maracutaias, brigas, escândalos, problemas. O cara era o foco da minha pesquisa políticas superficial que faço na internet. Era por causa dele que fazia questão de me questionar.

Odiei muita coisa do que ele disse. Já concordei discordando. A grande maioria das vezes, vi um acadêmico dar uma aula gratuita enquanto eu, um aluno de pensamentos praticamente antagônicos, me divertia ao discordar. Ou às vezes entender seu ponto e ainda sim achá-lo totalmente errado. Era um escape quase que diário que fazia e que muito me agregava.

E agora o professor doutor foi-se. Não se sabe quando ele volta, mas espero muito que ele volte. Se não mando o Ted atrás dele.



Blogroll
2-outubro-2008, 11:19
Filed under: Blogroll

Aumentou o blogroll do Lembrança Eterna.

Glutamato Monossódico é uma incógnita pra mim. Não sei daonde tirei esse blog. Não lembro (sorry se você acessa o site direto, posta comentários e eu simplesmente sou um merda e não lembro) da Fernanda P., autora do aforementioned. O mais bizarro é que acessei o blog pela primeira vez porque estava vasculhando meus sms mandados e vi que tinha um meu pra mim mesmo. Acessando-o, tinha o endereço do blog. Não lembro quando nem onde mandei a mensagem pra mim mesmo, mas tem um tempo. Coisa estranha, né. Só sei que acho a Fernanda um barato, mesmo pseudo-conhecendo ela.

Bichinhos de Jardim é um que acompanho há séculos, e ainda não tinha inserido aqui. Clara é uma fofa de carteirinha, e suas tirinhas são sensacionais. A conheci (finalmente) no BlogCamp e posso dizer que sua imagem condiz perfeitamente com as suas tirinhas. É um blog lindo para uma desenhista linda demais.

Malvados não está no meu blogroll também sabe-se porque cargas d’água. Acho que não tinha colocado tirinhas como blogs, o que são – de certa forma. Bom, Dahmer é um cara brilhante. Gênio. Seu humor bate com o meu. Fala o que deve, quando deve, da maneira que deve. É o cara.

Todos os fogos o fogo é um novo, diretamente do grande mestre Idelba. Para quem, como eu, é louco desvairado pra conhecer cada vez mais de política internacional, não há lugar melhor. Pra mim é hoje o melhor lugar para se entender toda essa bagunça em torno do mundo. Que 2008 acabe logo. Vixi…

Escudinhos é a idéia maluca do VP (que, aliás, mudou de endereço e tá todo prosa) pra contar histórias de futebol através dos botõeszinhos tão queridos de nossa infância. Meu primo chegou a ser campeão dessa joça em Niterói. Como o VP mora na Ilha, esse fascínio com futebol de botão deve ser coisa do interior mesmo.

Navalha Infame é um daqueles blogs que você acha através desses condomínios. O verbeat me levou à ele e cada vez que entro gosto mais. Coisa parecida aconteceu no Bunker.

Emails de Nova York é um retrato muito interessante, cativante, emocionante e muitas vez hilário do que é largar tudo para se aventurar numa cidade estranha, com gente esquisita. Nem ninguém a não ser seu par. Deve ser uma sensação maravilhosa e amedrontadora ao mesmo tempo. Que inveja.



BlogCamp RJ
29-setembro-2008, 3:41
Filed under: Abobrinhas, Blogroll, Perfil

Estive lá no NAVE no sábado com a linda Viva pra ver qualé dessa parada de BlogCamp. Pra ser bem sincero, eu pouco sabia do que se tratava – e foi uma grande surpresa tudo o que ocorreu. Me inscrevi tarde pracas, mas felizmente pude sentar com pessoas incríveis e discutir vários projetos interessantíssimos.

Dentre tantas pessoas excepcionais, as conversas com a sempre maravilhosa Alê Felix, o Pedro Jansen do Yahoo! Posts e o Mack do Videolog me deixaram com inúmeras pulgas atrás da orelha. Pulgas boas, incitantes.

Em primeiro lugar, o NAVE é algo de especial. Que lugar fantástico. Uma proposta ímpar de conhecimento e educação que nunca tinha visto antes. Meus filhos, com sorte, estudarão lá.

Depois de acrodar mal e porcamente, olhar para o lado de fora da janela e ver a chuva cair, levantei-me com certo pesar e me dirigi ao telefone – que tocava com o display que dizia ‘Viva’. Ela já tinha me ligado, mas o torpor matinal tinha se instaurado e eu permeava entre o consciente e o inconsciente até ela me ligar pela segunda vez, vejam so!, se desculpando pela demora. Não sabia se tinham se passado treze segundos da primeira ligação. Prontamente me dirigi ao banho, longo e demorado, e desci.

Com a linda, perfeita, maravilhosa Viva eu caminhei até a grande fachada da NAVE. Viva me contava mundos e fundos sobre o lugar, e eu lá, ansioso para saber qual era da parada do lugar – e, depois, do evento. Chegamos por volta das 10h, e o BlogCamp ainda se encontrava um tanto morno. Também pudera. Esperar que cariocas se levantem sãos e contentes às 9h para falar de tecnologia, negócios, conteúdo e afins é um tanto demais. Melhor marcar às 5h e saber que todos chegarão virados.

Com uma mesa de comes-e-bebes, a festa começou. A Viva encontrou uma penca de gente que ela conhecia e adorava. Aliás, a Viva é um espanto no que diz respeito à essa comunidade blogueira – não bloga e é conhecida, reconhecida e amada por todos. Brincadeira.

No salão principal, com direito à inúmeros puffs gigantes para o deleite deste preguiçoso-mor aqui, a introdução, dada pelo Bruno e pelo Mack, começou. A insônia deles e a paixão pelo que estava a fazer foi uma coisa maneira de se ver. Muita gente aglomerada, um reencontro com o Joselito do Estraga Filmes (que não via desde a despedida do Alex Castro na Cinelândia… lembram?), e muito papo geek deixaram a impressão que me divirtiria ainda mais do que eu esperava.

Mas antes tenho de informar uma coisa me deixou um tanto estupefato. Quase 11h, durante a palestra inicial, conversa-se levemente sobre twittagem e afins. Eu não conheço direito o Twitter, nem sei bem se me interessa muito. Pra mim é o mIRC renovado. Posts sobre qualquer coisa em menos de 140 caracteres.

Pois bem, analisando a trupe ao meu redor, uma grande maioria teclava alegremente em seus laptops ligados à rede wifi fenomenal do NAVE nos seus respectivos canais do Twitter. Sequer olhavam para o para o palestrante. Somente escutavam e repassavam as coisas para o canal do Twitter. Surreal.

Pior, um casal do meu lado entrou no SecondLife deles pra fazer sabe-se lá o que. Entraram em algum lugar patrocinado pela FIAT (pasmem, sério, pasmem) e ficaram andando em seu Punto virtual. Soube depois que tem palestra que é dada no local e muita gente fica de costas. Laptop no colo, streaming da palestra através do site do evento e o palestrante lá, atrás deles, falando ao vivo e em cores, com os membros da platéia nas telas dos seus respectivos computadores, ouvindo e vendo o palestrante na telinha de vídeo do site do evento ao invés de olharem pra frente do salão e assistir o que o cara tem a dizer. Absolutamente surreal.

A conversa sobre business no espaço ao lado do salão principal me fez pensar em inúmeras respostas para vários problemas que surgem na minha cabeça com relação ao que faço profissionalmente. Se tudo o que estiver pensando agora der certo, fudeu. Tomo conta do Universo.

Depois de conversas sobre negócio, um início de uma ONG voltada para a democratização digital, eram 15h da tarde e reparei um dado interessante. Virei para a Viva e constatei que não tinha tido uma conversa sobre futebol ou mulher. Era realmente uma reunião de nerds.

Alê deu uma aula do que é conteúdo na derradeira palestra do dia, e o Pedro do Y! teve de se virar pra mostrar que os caras do Y! Posts não são uma corporação maldosa que quer se apropriar indevidamente dos postadores. Vida de representante de multinacional é assim.

À noite, no BoteCamp, pudemos jogar mais conversa fora, rir bastante e fazer novos amigos. Muita gente nova, o Rodrigo do Jacaré Banguela é um cara ducarai, o Nababu, claro, estava lá, e muita gente que nem lembro o nome, mas que fizeram parte de um evento para o qual farei de tudo para comparecer sempre.

Blogueiro é um bicho estranho. Que bom.